A vila onde os elefantes chegam

À vila chegam vindos de todos os lugares. Ocupam a parte alta e antiga da vila, como se nela tivessem a sua origem. Uns são machos e outros fêmeas, todos antigos pele enrugada, vivida, marcada pelo tempo. Aqueles são magros, extremamente magros que continuam a caminhar por caminhar, talvez na esperança de encontrar a porta do caminhante. Outros altos e ainda elegantes podem ser vistos pela manhã e ao fim do dia, de noite há quem mergulhe na neblina na esperança de encontrar o Anjo Gabriel, do piar da toutinegra-real fazem poemas de dor. Há quem risque pedras, pinte bonitos quadros de cor preta, sem luz, toque um piano e escreva livros que ninguém vai ler, passeiam cães elegantes, finos galgos que furam caminho entre as veredas. Com os pés e mãos há quem tente parar o curso das águas que teimosamente invadem o lavadouro inútil.




Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes